quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Blurred Lines - Manifesto Anti-Thicke

Os VMAs 2013 trouxeram para a praça pública - leia-se, mundo online - a actuação degradante da Miley Cyrus, que quis provar de forma desastrosa que já deixara a Hannah Montana para trás. Eu vi o vídeo da sua performance e foi aí que descobri que ela termina a actuação a cantar em dueto com Robin Thicke aquela música que passa na rádio a toda a hora, Blurred Lines. Não, não gostei da actuação da Miley, mas caramba, somos hipócritas ao ponto de criticarmos a moça sem um único comentário à canção que o senhor estava a interpretar?

Vou ser clara: adoro uma boa letra com segundas intenções e marota. O single de Thicke é simplesmente degradante. Para complementar, pôs no vídeo três raparigas com maminhas ao léu a saltitar e a dançar com aquele ar sou-tão-inocente-aqui-com-as-maminhas-a-dar-a-dar, enquanto o senhor basicamente se limita a dizer, na sua letra, que sabe que a rapariga quer, porque ela é um animal e então isso está na sua natureza, só que, como é uma boa menina, não o vai admitir.
Pessoalmente, mamas não me chocam. Se preferiria que essa não tivesse sido a versão original do vídeo? Sim, preferiria. Hoje em dia as mulheres lutam pelo direito de andar em topless precisamente porque o seu corpo não é uma maquina de sexo. Este senhor chega e mostra três rapariguitas contentes por mostrar as maminhas, a dançar e a saltitar, com o dedinho indicador pousado de forma marota num lábio pintado de vermelho. Pronto, caiu por terra toda a luta pela libertação das mamas enquanto brinquedo sexual.
No entanto, o ponto que mais me preocupa é o seguinte: trocado por míudos, o que a canção nos diz é que, apesar de uma mulher dizer que não, ela na verdade quer dizer que sim, por isso, 'bora lá. No meu entender, este tipo de mensagem soa a violador. É perigoso que se espalhe a mensagem de que, apesar de ela dizer que não, na verdade quer. E, na maioria dos casos de violação, é assim que o agressor se justifica "ela provocou"; "eu sei que ela queria"; "ela estava a pedi-las", etc.

Foi com agrado que descobri que, felizmente, muita gente da minha idade pensa da minha maneira. Pude conferir isso no vídeo Teens React to Blurred Lines:


Não significa não.

Sem comentários:

Enviar um comentário