sexta-feira, 19 de junho de 2015

Dia 19 - Os filmes que mais te marcaram #Cinema

Confesso que tento ser uma boa cinéfila, mas ainda me faltam ver tantos clássicos... No entanto, já fui vendo muitos bons filmes e é desses que vou falar hoje. É sempre complicado este tipo de temas, porque vários filmes me marcaram de diferentes maneiras, até mesmo comédias de domingo à tarde. Mas como não quero andar aqui a mostrar os meus guilty pleasures, venho mostrar-vos filmes que me marcaram, que são muito agradáveis de ver (nada de coisas muito intelectuais) e que ainda vos dão a hipótese de fazer um brilharete quando a conversa é sobre o sentido da vida.

1 - Into The Wild
Vi este filme em Sociologia, no 12º ano, e depois tivemos de o analisar à luz dos conceitos aprendidos em aula. Basicamente trata a história verídica de um rapaz que tinha tudo para viver uma vida calma e confortável. Só que... Ele desprezava todos os valores da sua família, ou seja, as aparências, o dinheiro, trabalhar para ganhar sempre mais, ter mais bens, etc.
Então, ele decide fugir, com o objectivo de se libertar de uma sociedade cada vez mais perdida de valores, cada vez mais consumista e egoísta. O lugar escolhido para ele fugir é o Alasca, onde chega a viver completamente sozinho, apenas acompanhado pelos seus livros preferidos de filosofia. Ao mesmo tempo, vai escrevendo num diário a sua experiência e as suas conclusões. Mais não digo, vejam porque vale a pena!
Adoro este filme porque tenho um fraquinho por pessoas revoltadas com a sociedade actual, e que gostariam que tudo fosse diferente. O filme é também muito bom pelas paisagens que mostra e pela banda sonora, composta e interpretada pelo Eddie Vedder.

2 - Dead Poets Society
Tinha eu chegado às aulas, mais um dia normal, e um amigo meu vem ter comigo com um DVD e diz "Vê este filme, vais gostar". Olhem, eu adorei! O Clube dos Poetas Mortos é o filme em que Robin Williams é um professor inspiracional que faz com que os seus alunos aprendam a gostar de poesia. Mas é tão mais do que isso. Todo o filme está cheio de pequenos ensinamentos que todos devíamos assimilar. Um filme a rever, definitivamente.


3 - Whatever Works
Foi o primeiro filme que vi do tio Woddy e que me abriu as portas para toda a restante obra maravilhosa deste senhor. Já vi quase tudo o que há para ver do Woddy Allen, mas há qualquer coisa neste Whatever Works que me prende sem explicação. O filme fala da história de um velho rabugento zangado com tudo e com todos. Como não amar? No começo, o senhor fala direcamente para nós, público, e mostra toda a sua zanga e revolta. No fim do filme acontece o mesmo, mas ele está mudado. Porquê? Vejam, vejam!
Deixo-vos mesmo o vídeo da cena inicial, porque está genial.

E pronto, aqui vos deixo com três sugestões para abrirem novos caminhos e horizontes cinéfilos. Como deve dar para perceber, toda a temática de revolta com a sociedade/procura de um mundo melhor fascina-me imenso, portanto gosto de tudo o que alimente este meu lado utópico. Afinal, temos de acreditar em algo bom, certo?

Sem comentários:

Enviar um comentário